Habilitar educadores para a docência em escolas do campo nas seguintes ênfases do conhecimento: Ciências da Natureza e Ciências Agrárias;

Formar para o desenvolvimento de processos educativos nas escolas formais, através da organização do trabalho escolar e da discussão de concepções e metodologias pedagógicas;

Possibilitar a gestão de processos educativos nas comunidades, formando sujeitos humanos autônomos e criativos capazes de produzir soluções para questões inerentes à sua realidade no âmbito das Ciências da Natureza e Ciências Agrárias;

Criar condições teóricas, metodológicas e práticas, para que os alunos possam tornar-se agentes efetivos na construção e reflexão do projeto político-pedagógico, planejamento e gestão da escola, tanto no caso das escolas formais, quanto no desenvolvimento de projetos educativos não-formais junto a comunidade;

Oportunizar a formação de profissionais na educação do campo com conhecimento voltado para famílias de pequenos produtores, contribuindo para o resgate da cidadania e no desenvolvimento de um sistema de produção coletiva, economicamente viável e sustentável;

Contribuir na formação de lideranças sobre e partir dos princípios básicos da vida no campo e desse modo propiciar espaços de construção de conhecimento aos acadêmicos envolvidos, a partir das experiências práticas junto da comunidade e da escola respeitando a sua leitura de mundo;

Promover maior aproximação entre os saberes populares do campo e os saberes acadêmicos da Universidade;

Estimular a promoção de políticas públicas que visem o fomento de ações voltadas ao incentivo a pequenos produtores e da permanência no campo.